Inteligência Emocional

Inteligência Emocional

Inteligência Emocional

Para que uma pessoa tenha sucesso em sua vida, seja no âmbito pessoal ou no profissional, ela precisa desenvolver certas destrezas e competências, como autoconhecimento, organização, paciência, resiliência, ética e outras. Porém, talvez o ponto mais importante e decisivo para tornar alguém bem-sucedido, seja a inteligência emocional.

Ao contrário do que muita gente acredita, inteligência emocional não tem relação com a noção de inteligência tradicional, determinada por muitos pelo QI. Assim como outras capacidades, a inteligência emocional pode ser desenvolvida e exerce grande influência também em outras questões importantes, como a capacidade de liderança e até mesmo a noção de felicidade.

Se você quer se tornar uma pessoa mais consciente de suas ações e sentimentos, quer desenvolver suas habilidades de liderança, autocontrole, comunicação e quer lidar melhor com os outros a seu redor para ter mais sucesso, é hora de conhecer mais sobre a inteligência emocional.

A seguir, você vai descobrir em detalhes o que esse conceito significa, qual sua importância no ambiente de trabalho e como desenvolver a inteligência emocional em seu dia a dia com exercícios práticos.

O que é inteligência emocional?

 

O conceito de inteligência emocional diz respeito ao modo como as pessoas lidam com seus sentimentos e emoções e também como respondem às pessoas e situações ao seu redor. De forma geral, é simples reconhecer alguém que não tem uma boa inteligência emocional: brigou com a namorada e saiu xingando todo mundo no escritório? Tropeçou na rua e isso estragou seu dia? Acordou de mau humor e sua produtividade caiu? Esses são sinais de que você precisa desenvolver sua inteligência emocional.

Indo mais a fundo no conceito, é difícil não falar de quem primeiro trouxe o termo para o público: Daniel Goleman. Em 1995, com seu livro Inteligência Emocional, ele trouxe esse conceito à tona e foi também o primeiro a aplicá-lo ao mundo dos negócios com seu artigo de 1998 na HBR.

 Um indivíduo com uma boa inteligência emocional consegue lidar melhor com seus sentimentos, controlar impulsos, evitar ser dominado por situações negativas e, consequentemente, se torna mais produtivo, mais empático, melhora sua liderança e consegue ter mais sucesso no dia a dia – seja no âmbito pessoal ou profissional.  

Diferente da inteligência mental, associada ao QI, a inteligência emocional pode ser trabalhada diariamente e existem parâmetros que mostram se uma pessoa é mais ou menos desenvolvida nesse ponto.

Inteligência emocional no ambiente de trabalho

 

Ter uma boa inteligência emocional é decisivo para o êxito de uma pessoa em diferentes áreas de sua vida. Porém, quando falamos do universo corporativo, isso se torna ainda mais importante. De acordo com um estudo da Universidade de Maryland, 58% dos fatores de sucesso na vida profissional estão atrelados a inteligência emocional.

Em uma pesquisa aproximadamente 200 grandes empresas globais, Goleman descobriu que as qualidades tradicionalmente associadas com a liderança, como a inteligência, tenacidade, determinação e visão (necessárias para o sucesso), são insuficientes. Líderes e profissionais eficientes também são distinguidos por um alto grau de inteligência emocional, que inclui autoconhecimento, auto-regulação, motivação, empatia e habilidade social.

Estas qualidades podem parecer muito “soft” ou sem sistema nem método, mas Goleman encontrou vínculos diretos entre inteligência emocional e resultados de negócios mensuráveis. Embora a relevância da inteligência emocional para o negócio continue a acender o debate ao longo dos últimos anos, a pesquisa de Goleman continua a ser a referência determinante sobre o assunto, com uma descrição de cada componente da inteligência emocional e uma discussão minudenciada de como reconhecê-la em líderes potenciais, como e por que ele se liga a performance, e como ele pode ser aprendido.

Outros pesquisadores confirmaram que a inteligência emocional não só distingue líderes proeminentes, mas também pode ser ligado a um forte desempenho. As conclusões de David McClelland, o renomado pesquisador em comportamento humano e organizacional, são um bom exemplo. Em um estudo de uma empresa de alimentos e bebidas global de 1996, McClelland descobriu que, quando os gerentes seniores tinham uma massa crítica de capacidades de inteligência emocional, suas divisões excediam as metas de lucros anuais em 20%. Enquanto isso, líderes da divisão sem essas qualidades tiveram desempenho inferior em quase a mesma quantidade.

Os cinco componentes da inteligência emocional no trabalho

 

Voltando a Goleman e seus estudos sobre inteligência emocional nos negócios, em suas pesquisas, ele definiu cinco pontos que compõem profissionais e líderes com alto nível de inteligência emocional e que precisam ser trabalhados para que se alcance a excelência nesse conceito.

Autoconhecimento: que é definida como a capacidade de um indivíduo de reconhecer e entender seus sentimentos, humor, emoções e os efeitos deles em si mesmo e sobre os outros.

Auto-regulação: é a capacidade de uma pessoa de reconhecer e controlar seus impulsos e agir sempre de forma racional e não baseada em pré-julgamentos.

Motivação: relacionada a vontade e paixão do indivíduo por suas atividades e trabalho, independente de recompensas financeiras ou de status social.

Empatia: que é a capacidade de “se colocar no lugar do outro” e agir com a pessoa levando em conta seu contexto e emoções no momento.

Habilidade Social: definida pela capacidade de uma pessoa de construir relacionamentos e de estabelecer vínculos de troca com outros indivíduos.

É importante que as pessoas busquem entender melhor cada um desses pontos e como alcançá-los. Só assim é possível melhorar sua inteligência emocional e ser uma pessoa mais bem-sucedida no trabalho.

Por que é importante melhorar sua inteligência emocional?

 

Como demonstrado por diferentes pesquisas e estudos, incluindo os de Goleman citados nesse texto, indivíduos com uma boa inteligência emocional tendem a ser mais bem-sucedidos em suas vidas, tanto no âmbito profissional como o pessoal.

Saber entender e lidar com seus sentimentos e emoções é fundamental para conseguir um dia a dia mais saudável e impacta diferentes habilidades e capacidades.

Confira alguns dos maiores benefícios de ter uma boa inteligência emocional:

Desenvolvimento da liderança

Melhoria na capacidade de tomada de decisão

Desenvolvimento de automotivação e curiosidade

Melhoria no desempenho profissional

Desenvolvimento da comunicação e poder de influência

Clareza de metas e objetivos (pessoais e profissionais)

  1. Crie um ambiente positivo de trabalho e diminua a negatividade ao seu redor

 

Pesquisadores que estudam a aplicação da Psicologia Positiva para o local de trabalho chegaram à conclusão de que uma mentalidade positiva não só pode afetar nossas atitudes em relação ao trabalho, mas também os resultados que se seguem. O “capital psicológico” que trazemos para a mesa pode ter um impacto significativo sobre trabalho e carreira.

Manter a positividade em seu ambiente de trabalho pode levar a uma maior eficácia de gestão, melhoria do clima organizacional, da cultura de resultados, atingimento de alta performance e alcance das metas. Portanto, crie o hábito de ser positivo em relação ao ambiente e as pessoas a seu redor. Comemore as pequenas vitórias, registre seus progressos e em vez de se entregar a visões pessimistas e negativas, procure ser otimista e sempre buscar por soluções lógicas para seus problemas.

  1. Dê atenção a si mesmo

 

Conhecer o seu corpo, suas emoções e a forma como você reage a diferentes situações no dia a dia é fundamental para que você saiba como lidar com essas emoções e se torne uma pessoa mais inteligente emocionalmente.

Esse ponto tem bastante a ver com outro conceito, que é o de autoconhecimento. Portanto, busque entender mais sobre esse ponto e procure por exercícios para desenvolvê-lo. Manter um pequeno diário para anotar seus sentimentos e comportamentos durante um dia pode ser um excelente primeiro passo. 

3. Trabalhe a forma como você reage a determinadas situações

 

Muitas vezes, não agir por impulso é um grande desafio, principalmente quando nos encontramos frente a situações difíceis ou que elevam muito nosso nível de estresse. Porém, é preciso saber controlar isso, pois uma decisão errada, tomada na “hora da raiva” pode impactar de forma muito negativa em nosso dia a dia e prejudicar o desenvolvimento de um indivíduo tanto no âmbito profissional quanto dos relacionamentos interpessoais.

O primeiro passo para conseguir controlar suas reações e impulsos, está muito relacionado ao tópico anterior, sobre autoconhecimento. Se você conseguir identificar as situações gatilho que disparam cada um de seus comportamentos impulsivos, será possível agir de forma mais controlada e racional quando você estiver a frente de alguma delas e controlar essas reações perigosas.

4. Aprenda a lidar com o stress e a ansiedade

 

Seja no trabalho ou no dia a dia comum, todos eventualmente são expostos a situações de stress e ansiedade e por mais que se queira evitá-las, é preciso saber lidar com elas.

Em momentos extremos, o mais importante é não reagir de forma impulsiva e destrutiva. Tente reconhecer suas emoções, entender o que está causando cada uma delas e buscar soluções lógicas para os problemas. Anotar as coisas, fazer esquemas ou conversar com outras pessoas pode ajudar a clarear sua mente e te levar a respostas de forma mais rápida.

É importante também tentar não se deixar dominar 100% pelos problemas. Tente manter sua rotina de exercícios físicos, leia algo que gosta ou vá ao cinema com os amigos. Os melhores insights vêm nesses momentos!

5. Cuidado com as emoções rápidas

Nosso cérebro funciona em uma velocidade que muitas vezes não conseguimos compreender e por isso sempre estamos lidando com novas emoções e opiniões.

É preciso ter cuidado com isso para não nos entregarmos a pré-julgamentos e preconceitos e também para que não deixemos de lado nossas convicções, metas e objetivos. Sempre que você se ver diante de uma situação ou pessoa nova, não se limite à sua primeira impressão sobre ela. Procure validar aquilo que você está sentindo e sempre se questione a respeito da origem de suas emoções.

Da mesma forma, busque ser fiel a seus valores e crenças e não desista tão fácil daquilo que você acredita e que te faz bem. Busque sempre entender os impactos de suas emoções e decisões em sua vida e pense se vale mesmo a pena desistir ou se apegar a algo.

6. Pratique a empatia

 

Conseguir se colocar no lugar do outro é um exercício muitas vezes complicado, mas que vai mudar a forma como você se relaciona com as pessoas e compreende o mundo.

Lidar com um outro ser humano a partir apenas da sua vivência e da sua realidade pode limitar a sua percepção sobre ele e diminuir sua capacidade de compreendê-lo de forma inteira – com suas emoções, crenças e sentimentos. Do contrário, quando você interage com uma pessoa levando em conta a realidade dela, o contexto social e as experiências dela, você consegue ampliar seu entendimento sobre ela e, a partir disso, pode lidar melhor com essa pessoa, evitando julgamentos e preconceitos.  

Ter empatia é fundamental para um bom desenvolvimento profissional – principalmente de liderança – e também vai te transformar em um ser humano muito melhor.

7. Conheça seus limites

 

De forma geral, as pessoas adoram se comparar umas com as outras e isso pode acabar causando mais frustração do que motivação. É importante entender que todos são diferentes, com uma realidade diferente, e que cada um possui seus limites. Frases do tipo “meu amigo que formou junto comigo já tem sua própria empresa e eu ainda não consegui nem ser promovido” são injustas e devem ser evitadas.

Cada pessoa tem seu tempo, sua curva de desenvolvimento, e se você ainda “não chegou lá”, na maioria das vezes isso não é por incompetência ou fracasso, mas porque seu caminho é mais longo, mais árduo.

Sugestões e Dicas para Tcc, Artigos de Logística

Sugestões e Dicas para Temas para Tcc, Artigos Logística

Logística empresarial: Aumento da qualidade e redução de custos

Logística hospitalar

Logística Reversa e Sustentabilidade

Marketing Logístico

A liderança logística

A ética na logística

O estoque de caixa

As novas tecnologias no controle de estoque

A logística como competitividade no varejo de médio porte

Logística e estoque de material

Logística reversa

Logística da cadeia de Frios

Principais erros cometidos no TCC (que você deve evitar)

Principais erros cometidos no TCC (que você deve evitar)

Descubra quais são os erros cometidos no TCC, que são responsáveis por muitas notas baixas e até mesmo reprovações. Veja, ainda, como evitá-los para garantir uma produção acadêmica exemplar.

Você está fazendo o trabalho de conclusão de curso? Então saiba que muitos estudantes estão na mesma situação e enfrentando dificuldades para colocar todas as ideias no papel. Para facilitar a construção do TCC e não ter dor de cabeça, vale a pena conhecer os erros imperdoáveis.

Os Principais erros cometidos no TCC

– Formatação inadequada

Quem não se preocupa em adequar o texto acadêmico às normas de formatação da ABNT perde pontos preciosos no trabalho de conclusão de curso. Portanto, é muito importante respeitar a padronização, no que diz respeito às margens, títulos, notas de rodapé, citações e referências.

Citações muito longas

Ao redigir um texto acadêmico, o estudante deve usar as citações como uma forma de embasar a sua análise e sustentar uma reflexão. Não se deve usar trechos inteiros de livros, pois isso transmite a impressão de “preguiça de escrever”.

– Uso de palavras inúteis ou ambíguas

Alguns estudantes gostam de “encher linguiça” no TCC ou na monografia. Para isso, eles abusam de termos inúteis e palavras ambíguas (com mais de uma forma de interpretar).

Para evitar o emprego de palavras que não acrescentam conteúdo, evite o uso excessivo de adjetivos e advérbios. Na hora de escolher os termos para compor o texto, seja simples, preciso e objetivo.

– Repetição de palavras

A repetição de uma mesma palavra na frase ou no parágrafo é um erro frequente em textos acadêmicos. O estudante que não quer cometer esse erro deve buscar sempre palavras diferentes com o mesmo sentido, ou seja, sinônimos.

– Ortografia incorreta

A banca não costuma perdoar erros de ortografia, por isso é importante ter muito cuidado na hora de escrever o TCC. Tenha um dicionário sempre por perto para suprir dúvidas.

– Frases longas ou em ordem invertida

Jamais use frases longas no seu trabalho de conclusão de curso, pois isso compromete a fluidez da leitura e, consequentemente, a compreensão de quem está lendo.

Evite compor frases com excesso de vírgulas e não tenha medo de usar ponto. Tomando esse cuidado, o texto acadêmico não ficará cansativo.

A estrutura das frases também interfere na compreensão da mensagem, portanto, tome muito cuidado. As orações devem ser montadas em ordem direta, ou seja, sujeito + verbo+ complemento.

– Uso da primeira pessoa do singular

O uso de linguagem pessoal é um dos erros cometidos no TCC. O estudante deve escrever o seu TCC ou monografia sempre na terceira pessoa do singular. O “eu” é recomendado apenas para relatórios.

– Achismo

Qualquer texto acadêmico precisa ser sustentado por uma metodologia de pesquisa, que pode ser referencial teórico, pesquisa de campo, entrevista ou aplicação de questionário. O “achismo” pode comprometer a credibilidade da produção.

– Texto desorganizado

A organização do texto é fundamental para entender os principais elementos de uma pesquisa acadêmica. Portanto, procure separar o conteúdo por tópicos e crie uma sequência lógica para os parágrafos. Caso seja necessário, faça um roteiro do texto para mapear as ideias antes de escrever o conteúdo original.

TCC Frankenstein

Existem trabalhos de conclusão de curso que se parecem muito com o personagem Frankenstein, afinal, são construídos a partir de pedaços, sem o menor cuidado de relacionar as ideias ou facilitar o entendimento do leitor. Um bom exemplo para ilustrar essa teoria é o velho hábito de “copiar e colar” citações sem qualquer tipo de critério ou análise.

Ao invés de transformar o TCC em uma verdadeira colcha de retalhos, o aluno deve fazer os seus argumentos se complementarem no trabalho. Para isso, basta definir uma estrutura de capítulos previamente, imaginar o texto e encaixar as citações como uma forma de embasar a argumentação.

Usar referenciais teóricos sem dar sentido ao texto compromete a credibilidade do trabalho junto a banca.

– Referencial teórico pobre

Um referencial teórico pobre pode ser identificado quando o estudante não usa autores com autoridade sobre o tema para defender as ideias dentro do texto. O excesso de “et al.” (o “disse me disse” acadêmico), também indica uma pesquisa limitada às interpretações de terceiros.

– Excesso de informação

Muitos estudantes, antes mesmo de escolher o tema do TCC, ficam desesperados em busca de referencial teórico. Precipitados, acabam acumulando material e não dão conta de tantas leituras. Com isso, é possível concluir que o excesso de informações também pode comprometer o trabalho de conclusão de curso.

– Plágio

Alguns alunos, mesmo que sem querer, acabam cometendo plágio na hora de escrever o TCC ou a monografia. Isso acontece porque eles não têm o cuidado de dar créditos a cada frase usada no trabalho acadêmico.

Para evitar plágios involuntários é bem simples. Antes de escrever um novo parágrafo, procure pensar: quem disse isso? A partir dessa informação, é possível fazer a referência.

Nunca se esqueça: violar direito autoral é mais do que uma prática antiética, é crime previsto no código penal.

A Escolha da Profissão Certa

Escolha da Profissão Certa

Escolha da Profissão Certa


Está com dificuldade para escolher uma profissão?


A Escolha da Profissão Certa


thinking_home


Se você está prestes a fazer o vestibular e está se sentindo mal por não
conseguir se decidir entre as profissões não fique chateado: isso é mais comum
do que você imagina!


Pesquisas apontam que a maioria dos jovens tem dificuldade para escolher
uma profissão.


Conflitos, indecisão, falta de orientação adequada, falta de
autoconhecimento… muitos podem ser os motivos.


Para ajudar os indecisos a fazer a melhor escolha, preparamos um guia
rápido com algumas dicas que podem ajudar na escolha da melhor profissão. Siga
os nossos passos, pense bem e boa sorte:


1. Informe-se sobre as profissões e carreiras


Antes de escolher uma profissão, procure conhecê-la muito bem.


É interessante eliminar os mitos e conhecer a verdadeira realidade das
profissões. Procure saber o que aquele profissional faz no seu dia a dia, qual
a sua área de atuação, como está o mercado para a profissão, como é o curso,
etc,.


Se você está em dúvida entre duas ou mais profissões, conhecendo-as bem
fica mais fácil realizar escolher aquela que mais tem a ver com o seu perfil.


2. Converse com profissionais formados


Agora que você já se informou sobre a parte teórica da profissão, procure também conversar com profissionais formados para conhecer a parte prática. Se você quer fazer o curso de Medicina, por exemplo, visite hospitais e clínicas, observe a rotina dos médicos e, se possível, faça perguntas para os profissionais.


Quando estiver escolhendo a sua profissão, lembre-se que todas têm o seu
lado positivo e o seu lado negativo: Medicina pode ser uma carreira linda, que
salva vidas e cura doenças, mas vai exigir um grande esforço e sacrifício do
médico, que tem que estudar durante vários anos e muitas vezes precisa deixar a
sua casa e família para atender emergências. A escolha da profissão certa
depende muito do estilo de vida que você quer levar.


3. Escolha com calma a sua profissão


A escolha da profissão certa deve ser muito bem pensada, é uma decisão
que precisa ser tomada com calma. Não é interessante deixar para a última hora,
no momento de preencher a ficha do vestibular. Pense muito bem sobre o assunto.


Claro, nada é pra sempre e a escolha profissional também não precisa
ser. Há muitos casos de pessoas que trabalham anos em uma profissão e
posteriormente abandonam tudo para começar uma carreira nova.


De qualquer modo, mesmo que você possa mudar de carreira no futuro, não
vale a pena perder tempo fazendo um curso do qual você não gosta. Por isso,
pense muito bem quando for escolher sua profissão.


4. Conheça bem suas áreas de interesse
(profissionais e pessoais)


Autoconhecimento é uma das chaves para o sucesso na vida em geral e com
a escolha da profissão certa não é diferente. Procure conhecer bem a si mesmo,
procure listar os seus principais interesses, talentos e defeitos (ou melhor,
pontos que precisa melhorar).


Liste quais são as atividades que você prefere fazer em seu tempo livre,
os tipos de filmes de que você mais gosta, os assuntos sobre os quais gosta de
conversar e as suas principais qualidades. Liste também o que você não gosta de
fazer, quais situações te deixam constrangido e também quais são os seus
principais pontos de melhoria.


Ter um bom conhecimento sobre si mesmo com certeza ajuda na escolha da
profissão certa.


5. Teste a sua afinidade com a profissão


Para poder ter certeza que está fazendo a escolha da profissão certa, procure toda a orientação que puder. Faça um teste vocacional, procure orientação de psicólogos e profissionais vocacionais e leia, leia muito sobre a área que quer estudar.


Procure conhecer o que está acontecendo no universo da sua profissão. Se
você quer fazer Ciência
da Computação por exemplo, faça uma pesquisa sobre as novas técnicas de programação,
sobre os novos computadores que estão surgindo, sobre as novas empresas que
estão despontando, etc.


Quanto melhor você conhecer do universo da sua futura profissão, mais
você saberá se tem afinidade com a área.


6. Vestibular não é o fim do mundo


Momentos importantes da vida, como o Vestibular, sempre causam medo e
ansiedade mesmo, é preciso ter controle.


Se você quer começar uma carreira de sucesso, deve encará-lo. Por isso
aceite, o fato e faça o que tem que ser feito: estude.


Claro, estudar é importante, mas tudo também tem o seu peso: não deixe
também de fazer atividades extras tais como se divertir fazendo o que você mais
gosta e cultivar os seus hobbies. Deixe também sempre um tempo para o descanso.


7. Não se deixe levar: escolher uma profissão só
depende de você


Nem sempre as melhores intenções levam às melhores escolhas. Não são
raros os casos em que pais, amigos ou parentes acabam influenciando na escolha
de uma profissão. Essas pessoas, em geral, querem apenas ajudar, mas não cabe a
elas escolher: a última palavra deve ser sempre sua!


É muito comum encontrar alunos que abandonam a faculdade porque não se
identificam com a profissão escolhida. Muitos desses casos ocorrem justamente
porque a escolha do curso foi feita com base na influência de outras pessoas.


Na hora de escolher uma profissão, nunca se deixe levar por comentários
ou qualquer tipo de influência.


A carreira é sua, o sonho é seu, a escolha da profissão certa só
cabe a você
.


Assim que decidir sua profissão, é hora de escolher uma faculdade. Para
que seu diploma tenha reconhecimento no mercado, a universidade deve ter o aval
do Ministério da Educação (MEC).


Essa é a
garantia de que o seu diploma será reconhecido e bem aceito no mercado de
trabalho.


Principais desafios da carreira profissional

Principais desafios da carreira profissional

Principais desafios da carreira profissional

Existem três tipos de desafios passíveis de serem enfrentados ao longo da jornada em direção a seus objetivose que servem de exemplos de desafios profissionais. Estes incluem obstáculos pessoais, os obstáculos ambientais e obstáculos sociais.

– Obstáculos pessoais

Obstáculos pessoais estão relacionados aos aspectos comportamentais: hábitos inúteis, emoções descontroladas, medos paralisantes e crenças limitantes. Estes comportamentos impossibilitam a tomada de decisões eficazes que venham contribuir com a construção do impulso necessário para a chegada ao destino final.

– Obstáculos sociais

Obstáculos sociais estão relacionados com pessoas que podem cooperar ou sabotar os projetos. Quando se trata de obstáculos sociais, é importante planejar, estabelecer laços e relacionamentos com as pessoas influente que possam contribuir e somar conhecimentos e experiências.

– Obstáculos ambientais

Obstáculos ambientais são condições inesperadas, acontecimentos e circunstâncias que você tem muito pouco controle sobre. Por isso, muitas vezes somos mal preparados e incapazes de lidar com eles de forma mais eficaz.

Um bom planejamento, reúne uma melhor compreensão dos possíveis cenários e consequências de decisões e ações para enfrentar desafios no trabalho.

Planejamento também permite uma visão sobre recursos adicionais contribuindo com a superação de obstáculos ambientais com que se encontrará ao longo da jornada em direção ao objetivo.

Busque sempre pensar de uma forma ampla em relação a sua vida e circunstâncias. Ao raciocinar de uma forma expandida, você passa a fazer planos usando da sua capacidade de leitura do que já vivenciou, projeção dos seus conceitos, ideais e com isso ter um melhor discernimento na tomada de decisões.

Como enfrentar os desafios da carreira profissional

O confronto proveniente dos desafios da carreira profissional transmite sobrecarga, principalmente em circunstâncias desconhecidas, ocasionando situações ameaçadoras.  No entanto, há sempre ações e decisões que são capazes de reverter completamente as situações negativas.

1 – Inteligência Emocionalmente

Quando os desafios da carreira profissional surgem inesperadamente geralmente, torna-se fácil reagir emocionalmente a essas circunstâncias infelizes.

Portanto, as reações emocionais muitas vezes não são muito produtivas, e podem ser substituídas pelo aprendizado de recuar emoções e visualizar a situação a partir de uma perspectiva externa – através da lógica e da razão.

2 – Adquirir perspectivas diferentes

Os obstáculos são apenas reais e podem afetar inteiramente o projeto de crescimento profissional, mas existem circunstâncias em que os desafios da carreira profissional facilmente são mal-entendidos e generalizações sobre as circunstâncias levam a atribuir a eles pesos maiores que eles realmente possuem.

3 – Ajustar suas prioridades

Às vezes superar obstáculos torna-se inviável porque as prioridades estão fora de ordem. Isto é sobretudo relevante quando se considera o verdadeiro valor do tempo gasto desenvolvendo habilidades ou conhecimentos em campos que podem compromete a capacidade de superar as circunstâncias difíceis.

Isto essencialmente se resume a se comprometer a aprendizagem ao longo da vida. Torne-se um aprendiz ao longo da vida, adquira conhecimentos e habilidades que para trabalhar com os problemas de forma mais eficiente.

4 – Aceitar e reconhecer circunstâncias

Negar um problema existente é a pior atitude humana mediante aos confrontos e desafios da carreira profissional.

Quando negamos que existe algo que nos fecha perdemos as soluções, respostas e oportunidades que estão à espera de serem descobertas. Devemos, portanto, aceitar e reconhecer as circunstâncias pelo que elas são de forma otimista, buscando sempre soluções realista.

5 – Pensamento crítico e criatividade

Criatividade e pensamento crítico foram feitos sobre as fundações dos obstáculos e problemas que as pessoas têm lidado em todo o curso da história humana. Entretanto, sem problemas, não haveria necessidade para o pensamento criativo ou crítico.

É fundamental a dedicação do tempo para aprender e empregar essas duas habilidades quando se deparar com os desafios da carreira profissional.

6 – Aprenda com seus erros

O progresso é construído sobre uma infinidade de erros que cometemos diariamente, sejam eles grandes ou pequenos, portanto significativos no aprendizado das lições que o ajudarão a superar os desafios da carreira profissional.

Separe tempo para instruir-se com cada experiência fracassada e erro que cometeu. Cada aprendizado, maior o crescimento, consequentemente, maior será a capacidade de lidar com os obstáculos que se encontram ao longo do caminho.

7 – Cultive a calma

Calma abastece clareza de espírito, nos possibilita fazer questionamentos mais precisos, pensar mais criativamente, criticamente e eficaz sobre seus problemas.

Quando o corpo e a mente estão calmos, espontaneamente é possível atingir um reservatório de recursos internos que normalmente não seria acessado favorecendo o controle do campo das emoções auxiliando a melhor reação às circunstâncias.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
WhatsApp chat WhatsApp 11-99832-9604